sexta-feira, 20 de julho de 2018

COPA DO MUNDO 2018 - filho, seja homem!




   Vou falar de Neymar Jr. Vou falar de Neymar!!!!

   Quando eu saí de casa, minha mãe me disse: "Filho meu, seja homem!" Tinha eu 15 anos e peguei o ônibus sozinho e desci sozinho na rodoviária, em Dois Leões, e peguei um ônibus sozinho até os Aflitos e lá me instalei junto a outros estudantes. Éramos 7 num quarto e sala. E eu precisava comprar meu colchão, não havia cama pra mim. 

    Então, fui até a avenida Sete e comprei o tal colchão de espuma. Para entrega, quando? Ora, não, nada. Assim, botei o colchão nas costas e saí pela avenida lotada, murcho, vermelho de vergonha, humilhado, o escambau... até as Mercês. Quando lá cheguei, depois de trombadas e topadas, respirava normalmente e a cabeça estava levantada, o colchão não pesava tanto. Eu era eu, como diria o Sargento Getúlio. Eu era eu, e jamais me apartei disso.

    Sozinho. Tudo que alguém precisa para saber quem é e o que precisa fazer. Sozinho.

     Hoje, ou ontem, pouco importa, o Herói Quicai concedeu entrevista... finalmente.... (talvez pressionado por compromissos com patrocinador) dizendo o óbvio... o que deveria ter dito no day after da primeira partida da Copa. Os ditos todos que a imprensa mundial repetiu exaustivamente desde sempre.

     Ou seja, nosso Herói Quicai pode ser muito rápido em campo, mas é lento demais fora dele. A assessoria do HQ demora demais a engrenar o discurso. 

    Semanas depois ele matraqueia o que um homem diria de imediato.

    Às vezes apiedo-me, depois gargalho. Lembro do tempo que passei fome na Salvador de outros tempos e hoje, duvidando de tudo, coço o saco. 

    Vocês conhecem o filho de dona Totonha? Nem eu. Mas, desde os 11 anos, esse menino sustenta a família trampeando na sinaleira da Paulo VI. Meu herói. E basta. E fim.    

Nenhum comentário: