quinta-feira, 12 de julho de 2018

COPA DO MUNDO 2018 - croacidade




   Croacidade, capacidade de superação total, do cansaço à limitação técnica.
    
   Croacidade, ferocidade encapsulada em quadriculados explosivos.
   
   Croacidade, habilidade em cooptar apoios, mesmo com arestas expostas.

   E assim nos aproximamos do fim, ansiosos por essa disputa dominical entre classe e volúpia para o combate. Sem esquecer que, com apenas cinco copas no currículo, a Croácia já se posta no pódio. Tá certo que o Brasil também fez isso, em 50, mas de forma decepcionante.

   Espero por algo vertiginoso e, talvez, por um novo campeão do mundo. A questão é que Glorinha não abre mão da língua francesa, diz que é a mais saborosa do planeta etc e tal, e se entrega ao francês com certezas parisienses. 

    Federer caiu em Wimbledon. Arthur chegou à Barcelona. Felipe Anderson ao West Ham. E Bryan Ruiz aportou em Santos. O Vitória virou um time portenho. O Bahia de Feira agora tem centro de treinamento de primeira. E o Vasco retoma seu sofrido navegar na segunda-feira, com a obrigação de fazer três gols no Bahia, em São Januário, sem o auxílio do VAR.

   E o VAR, hein?, sumiu da Copa do Mundo. Por que será?      
  

Nenhum comentário: