sábado, 9 de junho de 2018

COPA 2018 - UMA CASO PARA LEMBRAR




     Então, para não dizer que escondemos as flores, aqui está algo para ser lembrado: a  humilhante derrota da Seleção Brasileira, por 7 a 1, diante da Alemanha, nas semifinais da Copa do Mundo de 2014. O episódio rendeu um livro de contos, com participação de sete contistas brasileiros e um alemão, mais um ensaio de uma escritora alemã. A coletânea Sete a um foi lançada no dia 5 de maio, em Salvador, na Biblioteca do Instituto Goethe. 

     Adiantem-se e peçam seus exemplares pelo sítio da Editora Dália Negra (www.dalianegra.com.br/editora). Alguns dos contistas brazucas escrevem aqui no Papo de Arubinha. Pelo time do Brasil foram escalados os contistas Claudia Tajes (“A Vida é um eterno descenso”), Carlos Barbosa (“Glorinha toda solta”),  Elieser Cesar (“O hexa de meu pai”), Lima Trindade (“Oito de julho”), Luís Pimentel (“Gertrud”), Marcus Borgón (“O resto do mundo”) e Mayrant Gallo (“O que houve depois”). O gol de honra alemão coube a Hans-Ulrich Treichel (“Foucauld, Freud, Futebol”).            

    Organizada pelos escritores Tom Correia e Lidiane Nunes, a coletânea é uma  coedição da editora baiana Dália Negra e da capixaba Cousa. O ensaio sobre futebol é de autoria da professora de Literatura Alemã da Universidade de Leipzig, Dagrun Hintze. A orelha do livro é assinada por Cláudio Lovato Filho, uma das maiores referências nacionais em literatura sobre futebol.  A capa de Sete a um é  do artista plástico carioca Marcelo Frazão e a versão dos textos do alemão para o português de Erlon José Paschoal, tradutor de grandes escritores germânicos como Goethe, Brecht e Holderlin.

Nenhum comentário: