Momento

TORCER PODE RESULTAR EM OBRA DE ARTE (fico devendo a referência)






sexta-feira, 9 de outubro de 2015

CHILE 2 x 0 BRASIL


   Vencer o Brasil é vencer o melhor, disse o técnico Sampaoli. Isso só mostra o quanto está atrasado no tempo o Chile. A seleção brasileira já não é a melhor faz décadas. Vive de explosões de um e outro gênio da bola: Romário, Ronaldo... e fim.
 
   Neymar segue trilhos duvidosos: constrói números expressivos em amistosos, mas na hora que realmente se precisa do craque, vem a explosão de garoto mimado ou uma joelhada traiçoeira. Não disse ao que veio, ainda, com a amarelinha. E já não é mais um garoto, na verdade. Na idade dele, Pelé já... ah, deixa pra lá.
 
   Foram duas bolas na trave metidas pelo Chile. E foram uns cinco contra-ataques brasileiros em que nossos craques tropeçaram na bola, apanharam dela, deixaram bem claro que não sabiam bem o que fazer com a redonda. Faltaram à aula de chute a gol. Até Oscar, o mais objetivo e centrado dos nossos jogadores, jogou graveto em gato. E o genial Douglas Costa guardou energias para o Bayern, que lhe paga muito bem etc.
 
   Lembro da Copa de 1986. Nossos "velhinhos" em campo, mais pelo que fizeram no passado, como se fosse a oportunidade de se redimirem. Falo de ZIco, Sócrates e cia. E a garotada no banco, em especial, Silas e Muller, que vinham estraçalhando adversários. Quem brilhou foi Josimar, com dois golaços. Zico perdeu pênalti e voltamos pra casa mais cedo.
 
   Desde que "achado", o Brasil fornece mão de obra e matéria prima para o mundo. Deveria continuar assim, pelo menos no futebol. Botem a garotada pra jogar. Eles querem brilhar e serem contratados pelos grandes times da Europa. Trazer os que lá brilham, com suas canelas de vidro e mansões e iates e jatinhos e ferraris, não rende bom futebol. Botem Luan, Vitinho, Lucas Lima, Walace, Dudu, Gabigol, essa turma. Os milionários não querem nada com bola, vide Ronaldinho.
 
   Toda arrogância será castigada. A Argentina tomou a traulitada dela, também. E em casa.