Momento

TORCER PODE RESULTAR EM OBRA DE ARTE (fico devendo a referência)






sexta-feira, 4 de setembro de 2015

ODE AO VASCO VI


Prossegue a caravela cruzmaltina
por linhas e mares trevosos,
Sacudida a pelotaços
E temerosos ventos laterais,
A adernar

Não prossegue, na verdade, afunda
de tunda em tunda,
em tormentos colossais,
de volta ao passado recente
velas rotas, sonhos abissais
a naufragar

Mera coincidência o sexto canto
vir a lume nesses dias tais
de frio e queixume.
Outro dia reserva temporais
em astuciosas rotas mineiras.
Dezembro sequer se anuncia
envolto em brumas feito rochedo,
que eu temo por ti, caraveleiro,
que aderna, que naufraga em medo,
mesmo tendo nascido clube de remo.

 

Nenhum comentário: