Momento

TORCER PODE RESULTAR EM OBRA DE ARTE (fico devendo a referência)






domingo, 31 de maio de 2015

BRASILEIRÃO 2015 (6)


Costumo dizer que o Vasco deveria ser o segundo time de todo flamenguista. O Vasco tira o Flamengo dos apertos, perdendo partidas, entregando campeonatos, deixando-se furtar em campo e nos tribunais sem muito alarde. E fazendo o que fez esta semana: apiedando-se do Flamengo, na zona do rebaixamento desde a semana passada, a ponto de decidir fazer companhia aos rubro-negros. O Vasco chegou lá antes do tempo: já é o 17o. colocado, logo acima do Flamengo. E eu que já festejava uma possível draga flamenguista, agora tenho que fechar o bico, pois o Vasco está firme em seu desrumo. Isso não é impressionante?
 
Os brilhantes dirigentes insistem em afirmar que o Brasileirão só vai começar, mesmo, depois da Copa América. Bem, os menos brilhantes técnicos, por conhecerem bem os dirigentes, tocaram seus times de forma a fazerem o óbvio: somar o máximo de pontos até lá. E a rodada de hoje, a 4a. terminou com Atlético-PR em primeiro, com 9 pontos, Sport em segundo, Ponte Preta em terceiro e Goiás em quarto, todos com 8 pontos. Repararam nos egressos da série B do ano passado nesse G4 provisório? Pois é, cada qual sabe onde lhe apertam os sapatos. 
 
Os quarentões Zé Roberto e Rogério Ceni brilharam nesta rodada. O que dá a medida próxima do estágio a que chegamos no futebol brasileiro. Jogadores de 23 anos são tratados como iniciantes. Estendem para o futebol o infantilismo social a que nos entregamos há décadas. Pelé, com 23 anos, já era bicampeão mundial de seleções e de clubes e já havia sido entronizado como Rei do Futebol. Uma mixórdia, esse tempo em que vivemos.
 
PS...Foi preciso um país sem grande comprometimento com o futebol e com a Fifa para dar uma sacudida na máfia da bola. Estão tentando uma reação. Nessas horas, boto uma fé imensa em que a cadeia se atulhe desses corruptos boquirrotos e que a imundície aos poucos vá sendo afastada dos gramados. Vamos lá, dra. Lynch, porrada nessa corja!
 

segunda-feira, 25 de maio de 2015

BRASILEIRÃO 2015 (5)



Só rindo. Mas o fato é que me cobraram com muita ênfase que eu registrasse aqui a garfada que o Flamengo levou ontem.
Registro: o Flamengo perdeu ontem para o Avaí, por 2 a 1.
Querem que eu diga que o segundo gol do Avaí foi ilegal, que o Flamengo foi roubado etc.
Ora, parece que a bola havia saído quando o jogador do Avaí a levantou para dentro da área.
Digo parece, pois, pelo ângulo da câmera, não dá para ter certeza.
E depois, usando o argumento de um convidado do Sportv, passaram-se mais de 5 segundos até a bola entrar, tempo suficiente para a zaga do Flamengo afastar a bola. Essas coisas são do jogo, acontecem, são do momento, tudo é muito rápido e não se pode exigir da arbitragem olho de câmera e zoom e slow-motion. Então...
O bandeirinha estava de olho arregalado, ligado no lance e não marcou nada. Então...
De tão legal, o gol foi assinalado na hora pelo árbitro, disso não há dúvida.
Tá lá no placar: mais uma derrota do Flamengo (adoro escrever isso), que agora está na zona de rebaixamento.
De minha parte, lembro: quem com ferro fere, com ferro será ferido: aqui se faz, aqui se paga.
E sigo firme na torcida pela Série B. Para o Flamengo, claro. 

domingo, 24 de maio de 2015

BRASILEIRÃO 2015 (4)


O Vasco segue invicto na competição. E segue invictor também, ou seja, sem vitória alguma. Três empates, um gol marcado, outro sofrido. Quem consegue ter desempenho igual? Ninguém. E a pior de todas as coisas: o chefão, do gabinete/camarote assistindo a partida sozinho, fumando seu charuto, ostentando suspensórios, mergulhado na solidão dos canalhas, como se fosse o que realmente é - um poderoso chefão. Dá uma sensação de náusea insuportável. Dá para entender por que os atacantes perdem gols debaixo da trave.
 
O Sport lidera o campeonato com 7 pontos, por saldo de gols. Mas poderia estar com 9 pontos, se não tivesse sido garfado pela calhordice flamenguista no domingo passado. Lembrei de um lance parecido em um campeonato europeu, alemão se não me falha a memória, em que na saída da bola o time beneficiado deixou que o adversário marcasse um gol sem oferecer resistência. Mas não era Brasil, não era Flamengo, e fim.
 
E o Cruzeiro, que segue bombando na Libertadores, marcou seu primeiro ponto, deixando o último posto. Segue na zona de rebaixamento, junto com o Flamengo. Isso não quer dizer nada para o Cruzeiro, pois é só colocar o time principal em campo que os pontos começam a jorrar. Já para o Flamengo, parece que desta vez vai, com Luxemburgo e tudo mais. Se Deus for Deus, assim será, amém.
 
O Brasileirão 2015 só vai começar, de verdade, depois da Copa América. Quem for mais esperto chegará lá com pontos na sacola. Quem bobear, não vai conseguir se recuperar adiante, isso já foi exaustivamente provado em campeonatos anteriores. Ainda não adquirimos a cultura dos pontos corridos. Brasileiros, deixamos para depois o que deveria ter sido feito antes da competição. Tem time ainda em pré-temporada, pensando contratações, trocando de técnico, procurando patrocinador.
 
E o chefão lá de cima, lembram?, garante que o Vasco será campeão. De quê não se sabe. E não é bom perguntar.
 

segunda-feira, 18 de maio de 2015

BRASILEIRÃO 2015 (3)



E eis que o Vasco segue invicto na competição: dois empates sem gol. Desempenho mais vascaíno que esse é impossível. Interessante foi a desculpa do técnico Argel, do Figueirense: jogador dorme muito tarde, altera o relógio biológico, jogar 11h fica difícil. Sem armador, o Vasco vai supliciar seus torcedores, como sempre faz.
 
Diego Souza foi um dos melhores goleiros da rodada, o que é o futebol. Tiraram na marra a vitória do Sport dentro do Maracanã. Como sempre fazem em favor do Flamengo, história mais antiga não há. Hoje, no Redação Sportv, Rizek teve que engolir os companheiros de bancada afirmarem que a falta de fair-play não foi falta de fair-play. Isso, depois de taxarem de canalhismo a atitude dos jogadores do Boca Juniors ao aplaudirem a torcida. Mas a atitude canalha do time do Flamengo em não devolver a bola, essa é do jogo, do momento, normal, bola que segue. Canalhismo puro.
 
O Flamengo devia, sim, devolver a bola para o Sport. Nenhum argumento a favor do Flamengo tem valor moral. A partir do momento em que o goleiro Diego Souza jogou a bola pra fora, em seu campo de defesa, para o atendimento do companheiro de time no ataque, o Flamengo tinha a obrigação de devolver a bola. Neste e em qualquer outro mundo. Fosse ou não intenção de parar o jogo, a bola estava com o Sport e para o Sport deveria voltar, houvesse decência do outro lado.
 
A mídia flamenguista arrancou da grama e da lama todo tipo de argumento para justificar o fato de que o Flamengo não fez o que deveria ter feito. E por não ter devolvido a bola, o gol de empate saiu. Isso é definitivo e não tem porém. Tivesse devolvido a bola, o Flamengo poderia até vir a fazer dois gols em 30 segundos, mas aquele que fez não faria de jeito nenhum, seria impossível. Portanto, mais uma vez, o Flamengo é carregado nas costas da arbitragem e da imprensa. Pois time mesmo, não tem.
 
E as equipes reservas continuam em campo. O Atlético MG, eliminado da Libertadores, botou o time principal e goleou o Fluminense. Sei não, mas tem cheiro de Segundona para mais carioca, a verificar adiante.

domingo, 10 de maio de 2015

BRASILEIRÃO 2015 (2)


   Na primeira rodada, seis times venceram suas partidas, outros tantos perderam e os oito restantes ficaram com o empate. Por saldo de gols, o Sport larga na frente, seguido do Atlético Paranaense. Mas isso não quer dizer absolutamente nada, sei que me entendem.
 
   Vários times mistos entraram em campo, por conta das partidas pela Libertadores na quarta-feira próxima. Ou seja, o Brasileirão começou a meia-boca, despertando pouco interesse até mesmo da torcida. Só a partida das 11 da manhã foi quente: Grêmio 3 x 3 Ponte Preta. A turma tava naturalmente com fome.
 
    Contra o Flamengo, o São Paulo colocou Ganso e Pato no segundo tempo. O que lhe deu a vitória. O ídolo dos peso-pesados, Walter, arrebentou com o jogo, fez gol, cavou pênalti e deu assistência pro terceiro, levando Atlético Paranaense a derrotar o mistão do Internacional. Essas coisas brasílicas.
 
    Meu Vasco, como sempre, amargou um empate em São Januário com o Goiás. Parece que ainda tá disputando a Segundona. Acorda, pessoal!
 
    E aqui na Bahia, enquanto a chuva derrete o solo, derruba encostas e mata mais que a dengue em São Paulo, nossos times apresentaram suas armas na Série B: o Vitória perdeu em casa para o Sampaio Corrêa e o Bahia arrancou um empate em Minas Gerais, contra o América, o time de camisa mais bonita do Brasil. Vai ser assim: o Vitória lutando para se manter na Segundona e o Bahia para ascender à Série A. E se a chuva continuar...

quinta-feira, 7 de maio de 2015

BRASILEIRÃO 2015



Dos vinte times, cinco não possuem título nacional: Avaí, Joinville, Chapecoense, Ponte Preta e Goiás.
Palmeiras e Santos lideram o ranking de títulos: oito, cada, considerando Taça Brasil e Torneio Roberto Gomes Pedrosa, realizados antes de 1971, ano do primeiro campeonato nacional, vencido pelo Atlético Mineiro.
Estamos combinados: na medida do possível, virei ao Papo de Arubinha comentar o que valha a pena neste Brasileirão 2015.
Uma coisa é certa: o Vasco, com seus quatro títulos nacionais, voltou à Série A, estreando com a faixa de Campeão Carioca. Já é alguma coisa notável.
Outra admirável: depois de um século, Magno Alves retorna ao Fluminense.
Mais admirável ainda: onze partidas, até agora, serão disputadas às 11h da manhã do domingo.
Depois dizem que não há nada de novo no futebol brasileiro...

segunda-feira, 4 de maio de 2015

VASCO CAMPEÃO



Saiu o título, com as dificuldades que aqui previ.
Nos primeiros 15 minutos da partida final comecei a sentir náusea: o time atrás, chamando o Botafogo pra dentro da área e saindo na base do chutão. Ia começar tudo de novo.
Mas aí veio o gol. E, antes, a incompetência do Botafogo manteve o zero no placar.
No fim das contas, o Vasco chega ao título com duas vitórias nas finais, quando seu adversário jogava por dois empates. Vejam só, que surpreendente.
Duro mesmo foi ver Eurico Miranda na linha de frente, durante a premiação, pegando na taça, levantando a taça, desliguei a tevê.
"O respeito voltou". Tenho dúvidas sobre quem pagou pelo slogan e pelas faixas e pelos cartazes com a frase. Eurico está longe de contar com o respeito de boa parte da torcida vascaína.
E os adversários sempre respeitaram o time que tem chegado a quase todas as finais do Carioca, mesmo se arrastando em dificuldades e na segundona.
Agora vem o Brasileirão, dureza maior.
Mas que demore um pouquinho pra gente se divertir com os flamenguistas ressentidos.