Momento

TORCER PODE RESULTAR EM OBRA DE ARTE (fico devendo a referência)






domingo, 6 de julho de 2014

WC'14 (4)


O carrinho por trás é punido com cartão amarelo, pelo perigo que pode trazer ao jogador atingido, que não tem chance ou oportunidade de se proteger do pontapé.

Zuñiga atingiu Neymar por trás, elevando assim exponencialmente o grau da agressão. Agressão, sim, pois a imagem mostra que, em nenhum instante, Zuñiga procurou a bola: foi direto no corpo de Neymar, atingindo-o por trás com uma joelhada nas costas, tão ou mais perigosa que um pontapé ocasionado por um carrinho.

O carrinho é uma situação de jogo, até certo ponto, comum. Por isso, a punição é clara. Não há previsão específica para uma punição a joelhada nas costas, por não ser esta uma situação de jogo. É uma agressão, pura e simples. E como tal deveria ser tratada pelo Comitê Disciplinar da Fifa.

Zuñiga pode não ter, aos 28 anos, um histórico de violência em campo. Mas na partida contra o Brasil agiu de forma violenta no episódio envolvendo Neymar e, antes, dando um pontapé no joelho esquerdo de Hulk, que não tirou o atleta de campo porque não é à toa que seu apelido é Hulk. 

Igual tratamento, punição severa, deveria ser dado ao árbitro espanhol, omisso e incompetente. 

Nenhum comentário: