Momento

TORCER PODE RESULTAR EM OBRA DE ARTE (fico devendo a referência)






terça-feira, 9 de julho de 2013

COPA DAS CONFEDERAÇÕES (8)


Rescaldo.

Alegaram que o Brasil venceu porque jogou em casa, que a torcida foi fundamental etc. Ora, em 1950, a Copa do Mundo foi aqui, nossa torcida estava entusiasmada com a seleção, que era franca favorita ao título. Quase 200 mil pessoas no Maracanã. E perdemos pro Uruguai. Jogar em casa, torcida a favor, não são argumentos aceitáveis, muito menos se têm como objetivo reduzir o feito canarinho.

Escrevi no post (4): não me apraz o lenga-lenga espanhol. Isso a que chamam de tic-tac. Em 2010, escrevi aqui e disse ali e acolá que a melhor seleção foi a da Alemanha, até por estatística. Mas não creio que a Espanha foi agora superestimada, como disse Mayrant no post anterior. 

A Espanha chegou ao Brasil campeã da Eurocopa 2008, da Copa do Mundo 2010 e da Eurocopa 2012, com os mais importantes títulos do futebol na mochila. Considerar a Espanha favorita ao título não seria, como não foi, superestimar sua força futebolística: estava suficientemente demonstrada nas conquistas recentes. Não à-toa, o selecionado espanhol sub-21 ganhou mês passado o Mundial da categoria. A seleção brasileira é que vinha de tropeços, atropelos, troca de comando e resultados pífios. Achei que o óbvio, como disse aqui, seria a Espanha ser campeã da Copa das Confederações. De certa forma, reduzir a força da Espanha termina por reduzir o feito brasileiro.

Mas as goleadas do Bayern sobre o Barcelona, base da seleção espanhola, já anunciavam a decadência do esquema e de suas peças. Xabi Alonso não jogou, fez falta; Xavi já tem 32 anos; e os laterais são alas permanentes. O próprio Del Bosque reconheceu que a Espanha não sabe jogar quando atacada e que os adversários já aprenderam a enfrentar o famoso tic-tac. Disse mais: que é hora de a Espanha se reinventar. Sujeito sábio.

O legado: os times do Rio de Janeiro continuam sem estádio para jogar. Vão disputar seus clássicos em outras províncias. "O Maracanã é nosso" não é mais nem slogan que preste. O pessoal do Rio está marcando touca, precisa voltar às ruas para anular a concessão que parece mais estupro. Tiraram o Maracanã dos clubes e do povo.




Nenhum comentário: