Momento

TORCER PODE RESULTAR EM OBRA DE ARTE (fico devendo a referência)






sexta-feira, 13 de maio de 2011

O TIME DO VASCO

  • O Vasco está na semifinal da Copa do Brasil, o torneio mata-mata tão ao gosto do sumido Tom Correia. É um torneio do qual não participam, ainda, as equipes envolvidas com a Libertadores da América, ou seja, a reunião do rebotalho do ano anterior.
  • Não acredito que o Vasco passe pelo Avaí. Resta aquela possibilidade matemática, que serve apenas como referência. O Avaí tem um goleiro muito bom, o Renan, e outros ótimos jogadores, que formam um time coeso de jogadas mortais. E o treinador adequado, o Paulo Silas.
  • O Vasco tem o melhor goleiro do país, Fernando Prass. A única deficiência do Prass é não ter assessoria de imprensa forte. Não precisava ser tão presente na mídia quanto a Nicole Bahls, mas ter o nome citado vez em quando como goleiro selecionável. O fato é que parece que o Prass nem joga futebol. Os comentaristas o ignoram olimpicamente, como de resto ao Vasco.
  • Tem um ótimo zagueiro, o Dedé, este sim falado, aqui e ali, para a seleção, por algum vascaíno enrustido na figura de repórter de campo. Um zagueiro alto e ágil, que antecipa e cabeceia bem, com boa presença nas áreas e que cobra muito bem faltas. Mais do que fazem os reservas de Lúcio e Thiago Silva.
  • Tem Felipe, um extra-série se estiver bem fisicamente e interessado no jogo. Um jogador ainda capaz de ditar o ritmo da partida e de resolver grandes dificuldades para seu time. Não o fez em clássicos, mas fica sempre a esperança, ou a ilusão, de que possa brilhar a qualquer momento.
  • Tem um centroavante competente, o Elton, que voltou a fazer gols, e ao que parece definitivamente recuperado do ostracismo recente.
  • Fico tentado a dizer que tem um excelente lateral esquerdo, Ramon, mas me falta ânimo. A mesma coisa para o Fagner e o Diego Souza, o estressado.
  • Já o Éder Luís deveria ser sacado definitivamente do time para a efetivação do Bernardo, um que pode se firmar como grande nome do futebol carioca, assim como Zanata, ídolo do Vasco nos 1970 que jamais passou disso. O Éder Luís parece um tatu turbinado: enfia a cara no chão e vai rompendo com a bola até o desastre.
  • Pois é este time, o do Vasco, que representa os grandes do futebol brasileiro na Copa do Brasil. Caíram todos, até o Bonde do Framengo. Avaí, Ceará, Coritiba e Vasco vão lutar pela vaga na Libertadores do ano que vem. Boto minhas fichas no Coritiba, mas vou ficar muito feliz se der Vasco.

2 comentários:

Mayrant Gallo disse...

Há anos que eu não via este vascaíno tão animado! Como tricolor e confesso defensor do futebol do RJ (atualmente, torço até pelo Duque de Caxias na série B!), engrossarei a torcida para que este título vá para São Januário, e o Vasco dispute ano que vem a Libertadores. Se assim for, vai pegar um grupo fraco, como o Santos este ano, pois o campeão da Copa do Brasil sempre pega grupelho; já o campeão brasileiro...

Mayrant Gallo disse...

Carlos, se não fôssemos nós, o Arubinha não existia! Podemos mudar o nome do blogue para Pó de Arroz e Bacalhau...