Momento

TORCER PODE RESULTAR EM OBRA DE ARTE (fico devendo a referência)






segunda-feira, 25 de abril de 2011

RODA DA FORTUNA

  1. Mais uma prova de que o Flamengo quase-perde seus jogos. Na partida entre um time desfigurado e outro estafado, venceu aquele que quase-perde. A frase de Fred estampada hoje no G1 indica o erro do treinador tricolor: as substituições deveriam ter sido feitas no intervalo, se ali o time já estava morto de cansado, como afirmou o artilheiro. Os dois insatisfeitos, Souza e Araújo, entraram no finzinho e cagaram na retranca, errando suas cobranças de pênalti. O Flu ficou para trás no estadual, depois de se alevantar na Libertadores. Gira a roda da fortuna, como sempre.
  2. O Vasco vai entregar dois títulos de vez ao Quase-perde. Espero errar o palpite. Mas tudo indica que domingo próximo o Flamengo bate os pregos no caixão. Para entender melhor a questão, basta reparar no desempenho de Diego Maurício e de Galhardo na partida de ontem contra o Flu. Dois garotos que não tremeram na cobrança dos pênaltis. Aquele troço da camisa, que vai levar mais títulos do Vasco, o eterno vice. Toc, toc, toc. Que eu erre feio na análise.
  3. Por falar em insatisfeito, o sheik Emerson, para dar um fim à sua condição de reserva de He-Man, cantou o Bonde do Flamengo dentro do ônibus tricolor, em Buenos Aires. Talvez tenha sido o espírito portenho que o atacou. Talvez já tenha contrato acertado com o Flamengo. O fato é que jamais soube de traíra tão espalhafatoso no futebol.
  4. O Coritiba subiu para a Primeirona, ganhou o campeonato paranaense por antecipação com uma série de partidas invictas que impressiona. Agora, reparem no contraponto: o Bahia subiu para a Primeirona, faz uma campanhã pífia no estadual e praticamente assegura seu retorno à Segundona para quando o Natal chegar. Te contar, hein. Tsc, tsc, tsc.
CB, lamentando não ver hoje Schalke x MU e, amanhã, Real x Barça. C'est la vie.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

"VENCE O FLUMINENSE"

Nos últimos anos, a meta do Fluminense não é vencer, nem talvez ganhar títulos, mas contrariar desejos e expectativas. E, sempre que o faz, resta ao time adversário lançar mão da violência, como fez lamentavelmente ontem o Argentino Juniors, depois da derrota de 4 x 2, e, em 2009, o Coritiba. O Flu pode até ser eliminado da Libertadores logo no início da fase de mata-mata (por isso o futebol é apaixonante), mas não o foi quando todos queriam que ele fosse, começando pelo seu ex-técnico, aquele baú velho de frases-feitas e futebol defensivo e burocrático que os jornalistas insistem em nomear "o melhor técnico do Brasil". Mister M. Muricy é só mais um covarde que pulou do grupo mais difícil da Libertadores para um dos mais fáceis, à frente do Santos. Era isso. Saudações tricolores, especialmente para o Sobrenatural de Almeida, ilustre torcedor tricolor visto hoje nas arquibancadas do Estádio Diego Armando Maradona!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

A LIBERDADE NO FLUMINENSE

A imprensa esportiva parece aborrecida com o fato de que ontem nenhum jogador do Fluminense quis conceder entrevista depois do treino, apesar da boa vitória no último domingo e praticamente assegurada a vaga nas semifinais da Taça Rio. Tal insatisfação, porém, não tem nenhum fundamento, pois a liberdade da imprensa termina diante da liberdade do cidadão de não querer falar, seja ele quem for. E bem fizeram os jogadores do Fluminense quando, ao fim do treino, preferiram ir embora a falar com os jornalistas, que geralmente procuram colocar mais lenha na fogueira de qualquer crise, mentindo e espalhando boatos. Mais atitudes assim levarão a imprensa a repensar seus procedimentos e a baixar sua crista.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

CARIOCA 2011: A TAÇA RIO

1) Consciente de que não há mais nada a fazer na Libertadores, o Fluminense ontem dedicou-se exclusivamente ao jogo contra o Americano e venceu de maneira inquestionável, por 5 X 1, com um show de passes de Conca, que começa a recuperar o futebol que o elevou a craque do Brasileirão 2010. O resultado: Fluminense, beneficiado pelos fracassos de Olaria (foto) e Botafogo, acabou líder de seu grupo e precisando apenas de um empate na última rodada para se classificar às semifinais da Taça Rio. 2) Já o Botafogo, mesmo que vença, depende dos resultados dos jogos do Fluminense e, principalmente, do Olaria. Se os dois empatarem seus jogos, o Botafogo dá adeus ao bicampeonato. 3) E é aí que entra a não tão velha (pois data do Brasileirão de 2009) história do entrega ou não entrega. Se o Vasco fizer corpo mole e não sair do empate com o Olaria, beneficiará este e eliminará o Botafogo, isso se o Fluminense pelo menos empatar seu jogo. Mas talvez o Vasco não faça isso, porque, se empatar, e o Flamengo ganhar do Macaé, o Vasco ficará em segundo no grupo e pegará o Fluminense na semifinal. Mas, se não o fizer e ganhar do Olaria, certamente terá o Botafogo pela frente. Eis o dilema. Racionalmente (mas não dignamente) o melhor para o Vasco seria perder de goleada para o Olaria, para que este superasse o Flu no saldo de gols, ficasse em primeiro no grupo (o Vasco em segundo no seu) e os dois voltassem a se enfrentar na semifinal, agora para valer. Deste modo, o Vasco eliminaria dois grandes de uma vez só. 4) Quanto ao Flamengo, já classificado como o Vasco, e já na final do campeonato, resta lutar pelo primeiro lugar do grupo e torcer para que o rival da cruz de malta não derrame o leite, caso contrário terá um Fla-Flu logo na semifinal. 5) O que vai acontecer só saberemos no próximo sábado, às 18 horas. 6) Meu palpite (e é só um palpite): Grupo A, Flamengo e Vasco; Grupo B, Fluminense e Olaria. Consequentemente, nas semifinais: Flamengo e Olaria; Fluminense e Vasco.