Momento

TORCER PODE RESULTAR EM OBRA DE ARTE (fico devendo a referência)






quinta-feira, 24 de março de 2011

FLU DE VERDADE!

Muricy é uma fraude! Já foi tarde! Este é o Flu de verdade, que joga no ataque, faz gols e chega às vitórias. O 3 x2 no América (MEX) é só o começo. Ou o recomeço.

segunda-feira, 21 de março de 2011

A ELEGÂNCIA DE LEVIR CULPI

Dos técnicos que o Fluminense tentou contratar para substituir o covarde Mister Muricy, o único que deu uma justificativa verdadeira e elegante foi Levir Culpi: "Infelizmente, não vai ser desta vez que serei técnico do Fluminense. Se eu pudesse, eu iria direto. Quem não gostaria de treinar o Fluminense com o time que tem? A proposta que me fizeram era muito boa. Mas não posso largar o time assim. O país sofreu uma tragédia e não é hora de sair. Se eu fosse liberado pelos dirigentes por conta desses problemas, aí tudo bem. Mas eles querem que eu fique, e eu vou assumir minha responsabilidade. Eles sempre me respeitaram muito e eu devo respeito a eles também. Já comuniquei ao Fluminense a minha decisão". Mister Muricy deveria se mirar na postura do seu colega, que, em vista do que aconteceu recentemente ao Japão, preferiu o sacrifício à fuga. Mas sabemos quem é Mister Muricy, e que ele prefere os terremotos, contanto que aconteçam longe dele.

terça-feira, 15 de março de 2011

MISTER MURICY DO MARKETING

De fato, o Muricy é um covarde! É o que atesta sua falação (melhor talvez fosse dizer felação) dos últimos dias. Até rato ele disse que há nas Laranjeiras. E o que ele é? Um rato também. Do que ele não parece se dar conta é que o Flu é muito maior do que ele. Vestir a camisa do Flu, como de qualquer time grande do Brasil, deve ser motivo de orgulho, qualquer que seja a estrutura do time. Por lá passaram Tim, Didi, Ademir de Menezes, Gerson, Valdo, Telê, Rivelino, Samarone, Edinho, Dirceu, Paulo César, Doval, Assis, Romerito e tantos outros. E Muricy, quem foi? Um jogador menor que foi jogar no México. Um técnico que faz mágica, sim, faz, mas com um clube com estrutura, diversos jogadores diferenciados, comida e água de Primeiro Mundo e campos macios como cobertores. Queria vê-lo treinando o Íbis ou o Feirense. Ele saiu para não ser o responsável pela pífia campanha que o Flu faz na Libertadores. O que os jogadores devem fazer agora é lutar e se classificar. Para mandar este tecnicozinho de merda para o lugar dele, que é da empáfia marketeira. Ele foi embora antes que o leite fervesse e derramasse no seu pé. Na verdade, o Flu errou quando demitiu o Cuca, este sim um sujeito correto. Que saiu sem motivo e jamais abriu o bico para diminuir o clube. Tragam o Cuca de volta! Urgente! E também o Branco! O Fluminense é que foi campeão brasileiro ano passado, e não o Muricy. É preciso mudar esse discurso. Ele não deu nenhum presente ao Flu. Foi o Flu que, com a sua fidalguia, lhe permitiu essa honra. Vá, Mister Muricy, vá e não volte!

domingo, 13 de março de 2011

MISTER MURICY

Ora, ora, Mister Muricy saiu do Fluminense porque a Taça Libertadores não é uma competição de pontos corridos. Nem o Campeonato Carioca. E percebe-se que ele descobriu isso muito tarde, lá no México, quando o Flu perdeu para o América e praticamente deu adeus à classificação. Que ele é um grande técnico, não há dúvida, mas que ele também é um grande falastrão, também não há dúvida. E que sua competência às vezes se transforma em balaio de gato, idem. Desde que começou o ano ele só fez desentrosar o time, colocando em campo os protegidos que ele recomendou e que, agora, deveria carregar para o Santos ou para qualquer outro clube que venha a dirigir: Edinho Botineiro, Souza Só Esforçado e Diego Cavalieri Frangueiro. O Fluminense hoje é um time irreconhecível, não consegue ganhar de nenhum time grande. Mérito do Mister Muricy, o Mister M dos pontos corridos. Por fim, até hoje me pergunto por que o Fluminense mandou o Cuca embora. Vejam a diferença: o Cuca não vinha perdendo e foi demitido; Mister Muricy não vinha ganhando e pediu demissão. Covardia não é uma boa palavra, mas cabe aqui. Mister Muricy mostrou sua máscara de poltrão.

sábado, 5 de março de 2011

SUICÍDIO COLETIVO

  1. São 01:25h do dia 5 de março, sábado quente em Salvador, circuito de carnaval em chamas úmidas, e eu leio no G1 que o Vasco estreiou na Taça Rio perdendo de 3 x 1 para o Macaé. É a primeira vez, diz o site, que o Macaé vence um time grande do Rio. Começar de novo, o hino do Vasco. Que contratou Diego Souza. Não conhecem ou não reconhecem? Diego Souza, um dos melhores jogadores do Brasil tempos atrás, reserva do Atlético MG etc.
  2. Mais cedo, ou mais tarde, vi Tropa de Elite 2. Tão bom quanto o primeiro. Um pouco menos qualificado, pois faltou pelo menos um bordão como o "Pede pra sair!", que marcou o Tropa de Elite 1. Que caiu na boca do povo feito verso de Augusto dos Anjos. A morte a serviço do poder, cada vez mais encastelado. Pobre Nascimento - patronímico do Pelé - que nasceu para matar, um antípoda natural. Pobre Rio, paupérrima Salvador, miserável Brasil.
  3. No Vasco não se mata, embora o presidente seja Dinamite. (Sinto que essa frase seria magistral se eu trabalhasse para o Sport TV ou para a ESPN BR). Tudo parece um suicídio coletivo, à moda do Tim Jones, ou coisa parecida, na Guiana qualquer. Jamais vi, ou soube, de uma equipe que lutasse tanto para se foder em campo, no campeonato, na história. Será que, além de derribar técnicos, querem derrubar o Presidente Dinamite Molhado?