Momento

TORCER PODE RESULTAR EM OBRA DE ARTE (fico devendo a referência)






segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

LUCAS & NEYMAR

Não acompanhei o Brasil nesta campanha de classificação para as Olimpíadas de Londres, mas foi inevitável que, ao assistir aos gols da goleada sobre o Uruguai, associasse, romanticamente, Lucas (camisa 10) e Neymar (7) aos jovens Pelé e Garrincha de 1958... Claro que isso é um exagero, e é desse tipo de exagero que padece a imprensa esportiva, na maioria das vezes superestimando jogadores que, ao fim, acabam no estaleiro da vaidade ou no ostracismo da fama. Passam então a debitar do que fizeram, sem creditar no que fazem. A consequência é inevitável: são escalados em seus clubes e seleções pelo que foram momentaneamente. Torçamos para que Lucas e Neymar não sofram, mais cedo ou mais tarde, deste mal. Lucrará o Brasil, e eles também, afinal de contas a carreira de um jogador de futebol é, no curso da existência humana, tão curta quanto um palito de fósforos, que se mantém aceso somente até a altura dos dedos.

Um comentário:

Carlos Barbosa disse...

Vi todos os jogos da Sub-20. Neymar (que o "mestre" Luxemburgo quis queimar em sua passagem pelo Santos, já é titular do time faz tempo, com títulos na bagagem)é veterano aos 20 recém-completados e Lucas vem jogando no time principal do São Paulo desde o ano passado, tendo sido apontado por olheiros estrangeiros como a principal revelação do futebol brasileiro em 2010. JOgaram muito no sulamericano: Neymar, como um cometa fulgurante, fazendo 4 gols na primeira partida, e Lucas, cimentando, jogo a jogo, sua condição de maestro do time e artilheiro. Sim, Mayrant, a comparação é inevitável, com as ressalvas que vc mesmo apontou. Neymar ostensivamente cultiva sua imagem em cada jogada que faz; Lucas é um craque moderno, jogando pro time, objetivamente, não deixando de encarnar Jairzinho de vez em quando. Não fossem a expulsão de Adrian Luna, o craque uruguaio, e a perda do pênalti, a partida seria outra. Por isso mesmo o futebol é surpreendente, imprevisível e mágico. A goleada por 6 x 0 não traduz a distância entre os times. Perdemos para a Argentina em uma partida atípica e o Uruguai venceu a Argentina em mais uma batalha do Prata. E a Argentina ficou de fora da Olimpíada de 2012, com Iturbe e tudo. Talvez sejam esses os motivos de a gente perder tanto tempo com o futebol. Abraços,