Momento

TORCER PODE RESULTAR EM OBRA DE ARTE (fico devendo a referência)






segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Sempre Flamengo



Alumbramento. Sim, essa é a palavra. Eu fiquei alumbrada vendo a emoção do meu irmão mais velho, em um certo domingo dos anos oitenta, diante da TV. Ele assistia a um jogo de futebol e vibrava, gritava, se emocionava  tanto que eu – menina de uns seis anos e já apaixonada pela intensidade – parei para observá-lo torcer por um time que jogava com uma camisa rubro-negra. “Vai, Zico! Eh, Zico!, Viva, Zico!”, era o que ele gritava. Além de alguns xingamentos impublicáveis aos jogadores do time adversário. Aos poucos, eu fui me inteirando sobre o que era o Flamengo, quem era Zico e até aprendi a cantar o hino inteirinho do time. E, assim, foi nascendo e crescendo a minha paixão por esse clube de futebol. Paixão esta que, de verdade, não muda se ele ganha ou se ele perde; se falam mal ou se falam bem (e olha que no meu grupo mais próximo de amigos a maioria é antiflamengo). Hoje, por ironia do destino, sou apaixonada por um vascaíno e, por amor, até torço para que o meu Mengão não vença o Vasco de goleada. 2X1 tá mais do que bom, conforme aconteceu no jogo de ontem. 

Imagem: http://agentecredenciado.blogspot.com

3 comentários:

Lidi disse...

Quando estava lendo, pensei que você iria escrever que até torcia para o Flamengo não vencer o Vasco. :) Mas não vencer de goleada já está bom. Pois é. Fico feliz que tenha entrado para o time do Arubinha. É sempre bom te ler. Bjs, M.

Anônimo disse...

M. sua postagem sobre o Mengão foi muito legal.
Claudionor LDM

Carlos Barbosa disse...

A dureza de ser vascaíno reduz-se a pó diante da beleza desse texto. O futebol é apenas um esporte. Amo uma flamenguista e sou feliz assim. Mas haverá revanche, num longíquo dia pelo que se vê. (carlos barbosa)