Momento

TORCER PODE RESULTAR EM OBRA DE ARTE (fico devendo a referência)






sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Mudo Menezes


O assunto está meio passado, mas ainda vale.
Estavam lá Zanetti, o de Vida Eterna; Gaúcho, o Ressuscitado; Neymar, o mais novo bad boy da praça.
O Brasil dominou o primeiro tempo, merecia sair ganhando.
Já o rapaz da foto acertou um petardo de longe que raspou a quina do travessão: só faltou rasgar a bola em duas.
No segundo tempo, Mano não viu que Robinho errava passes compulsivamente.
 Aos 46, o castigo:
O cara dominou a bola, partiu em direção ao gol com rapidez, ajeitou com a canhota letal e saco.

Na volta, Mano não quis falar sobre o jogo (um amistoso, imaginem).
Ele deve ter algum plano infalível para permanecer invicto durante quatro anos. Só pode ser isso.

Tom Correia

[Aos poucos estou de volta, Arubinhas queridos. Consegui escapar de Sobibor]

Nenhum comentário: