Momento

TORCER PODE RESULTAR EM OBRA DE ARTE (fico devendo a referência)






quarta-feira, 28 de julho de 2010

SALADA MISTA

1 A convocação do Mano espantou até as moscas. De alguns jogadores, confesso, desconheço origem e talento. Creio que não precisava tanto. Renovação sem experimentalismo talvez fosse a melhor pedida. Afinal, a convocação servirá apenas para o jogo contra os EUA. Que, aliás, tem tudo para aplicar uma goleada nos canarinhos. 2 Um time baiano terá hoje a oportunidade de botar a mão na Copa Brasil novamente contra o Santos. Em 1958, foi o Bahia de Alencar e Roberto Rebouças, que ficou com o caneco; agora, o Vitória de Ramon e Junior, que, enfim, está habilitado a conquistar seu primeiro título nacional. Tem chance porque o time do Santos voltou das férias compulsórias meio chapado. E, noutra leitura, com a convocação do trio "Ganeyro", a chance do Vitória pode azedar. 3 Não entendi a convocação dos "europeus", posto que estão iniciando temporada depois de férias. 4 Ser gaúcho agora é condição para ser técnico da Seleção Brasileira? 5 E o Tom Correia nesta Copa? Alcançou sua obra-prima em termos de mistério?

sábado, 24 de julho de 2010

MURICY, MANO MENEZES E A CBF

Na Seleção Brasileira, entre Muricy Ramalho e Mano Menezes, eu prefiro Muricy. Mas no Fluminense eu também prefiro Muricy. E eu prefiro o Fluminense. Portanto, me satisfiz com a decisão do Fluminense, que, aliás, eu previ. O Flu tem um projeto, e esse projeto inclui um grande técnico. Não podia prescindir do Muricy, ainda que fosse para a Seleção Brasileira. E além do mais a CBF não merece que o Flu o liberasse. Seu presidente é despótico e cheio de soberba. Além de escorregadio: permite influências externas na Seleção e ignora (ou ignorava) o desejo do torcedor, há tempos, de ter uma Seleção mais brasileira, sem os "estrangeiros", aos quais a nossa camisa e o nosso povo não dizem mais nada, pois eles têm tudo: dinheiro, fama, prestígio, o mundo inteiro aos seus pés. Não torço pela Seleção Brasileira desde o fim da Copa do Mundo de 1986. Mas eu torço pela seleção de vôlei, de basquete, de handbol... Não creio que, sendo assim, eu seja o problema. Congratulações ao Muricy por cumprir sua palavra, em especial nesta época em que, ao que parece, só os bandidos têm palavra. E congratulações ao Fluminense por não liberá-lo. Esse é um problema exclusivamente da CBF, do Sr. Ricardo Teixeira, que, se em geral não ouve ninguém, não tinha motivos para ouvir o Flu antes de falar com Muricy. Houve, portanto, um atalho que foi decisivo para que o Fluminense não se sensibilizasse. Enquanto o Sr. Ricardo Teixeira estiver no poder e a Globo, com seus insuportáveis locutores, continuar a reger a Seleção Brasileira, não engrossarei a torcida por 2014.

domingo, 11 de julho de 2010

ESPANHA CAMPEÃ DO MUNDO

E tinha da que ser assim, contra a Holanda, e do jeito que foi, com o juiz agindo parcialmente, enchendo a Holanda de cartões amarelos e poupando o time de moçoilas de sapato de vidro da Espanha, que não aguentam um tranco. Um escanteio a favor da Holanda não dado pelo péssimo juiz (o pior de todas as finais de Copas do Mundo a que assisti), e sem que a Holanda reclamasse, pois não é de reclamar, um ataque e, por fim, o gol espanhol. Carlos Barbosa já havia dito aqui, e eu reforço: a Espanha é só toquinho, toquinho, sem muita objetividade (lembra o que o Brasil tem de pior), capaz apenas de um gol por jogo, mas caiu nas graças da FIFA, da Globo, dos africanos e até do Polvo. Não foi a Espanha que ganhou; foi a Holanda que perdeu. Que assim seja!

HOLANDA

Meu palpite vai para a Holanda, campeã. E para Müller, como revelação. Apostei em Schweinsteiger como craque da Copa. O craque da Copa nem sempre sai do time campeão, como foi o caso de Kahn, em 2002, e de Ronaldo, em 1998. Mas do time que ficou em terceiro me parece difícil. E aposto num 0 x 0 para a partida de hoje. Decisão nos pênaltis. Uma boa Copa do Mundo, com alternativas na classificação em cada etapa, sem uma seleção hegemônica, com destaques variados e grandes momentos de emoção nas partidas. Considero o time da Alemanha surpreendente, com uma proposta de jogo ambicionada por Dunga e realizada ocasionalmente pela equipe brasileira. Mas uma seleção, definitivamente, não pode depender de um craque. A ausência de Müller, o segundo passe no contra-ataque, na semifinal, tirou da Alemanha o título. Mas sairá com o melhor ataque da competição, sem ter a melhor defesa (lembram de uma seleção do passado assim?), e, provavelmente, com um dos artilheiros e o craque da Copa, este último com poucas chances. Os africanos precisam de mais leveza e objetividade, como sempre. Ou seja, não evoluíram quase nada nos últimos anos. Quanto ao Brasil, tem o título de 2014 desde já ameaçado. Não me perguntem por quem ou pelo quê.

sábado, 10 de julho de 2010

DISCURSOS

"Não dá para dizer que são as duas melhores seleções. A Espanha não apresentou um futebol convincente, e a Holanda está longe de ser aquele time de Cruyff, que encantou a todos na Copa de 74", disse o Sr. Presidente Luís Inácio Lula da Silva. Mas, se o Brasil fosse um dos finalistas, seríamos uma grande seleção, e o nosso adversário, tão grande quanto, para que tivesse ainda mais valor a nossa vitória.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

2014 JÁ TÁ NO AR

Não posso negar: achei bonita a logomarca da Copa do Mundo 2014, a brasileira. As mãos que se aglutinam transmitem muito bem o ideal de união, o esporte futebol, a bola na mão do goleiro e, ainda, uma árvore frondosa, ou seja, a floresta que o mundo vê no nosso mapa. Tudo em verde-amarelo, bacana demais. Agora, precisamos honrar esta imagem. E o Teixeira diz que nosso problema resume-se a aeroporto, aeroporto, aeroporto. Eu diria estádio, estádio, estádio, mas eu sou ingênuo. Não diria "uma seleção verdadeiramente brasileira" três vezes seguidas por conta do ritmo ruim que a frase teria, mas este é o nosso maior problema, sem dúvida.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

NOTAS DA COPA 2

O BOM PASTOR - A Folha de São Paulo revelou a participação de Jorginho no desastre brasileiro na Copa. As fofocas da imprensa eram verdades, enfim. Convocações por amizade e por afinidade religiosa, numa palavra, grupo evangélico; cultos na concentração com presença de pastor; contratação de um tal Gago para espião da seleção, um amigo da igreja; e a pérola que entornou o caldo: foi ideia de Jorginho proibir a ida de esposas, namoradas e familiares dos jogadores para a África, para "manter o grupo focado" - e o grupo descobriu, com a Copa em andamento, que o Jorginho levou a família dele. Foi esse o nível dos bastidores. CULPA DA IMPRENSA - Sim, sempre. A imprensa atrapalha enormemente os ditadores e, por isso mesmo, é por eles odiada. Os palavrões endereçados pelo Dunga ao Escobar valeram para todos os jornalistas, presentes e ausentes. Proibir jogador de dar entrevista em dia de folga foi a novidade, e isso em pleno século 21. Segundo a Folha, os jogadores aguentaram calados para garantirem convocação, escalação e evitar o corte. Dá para entender por que o Gaúcho não foi convocado: não se admite competição, estrela somente o ditador. FIÉIS - Consta que o evangélico mais participativo e empolgado durante os cultos na concentração era o Felipe Melo. E que os "rebeldes" do grupo eram o Kaká e o Robinho, minha nossa! Compreensível, não? GRUPO FECHADO - Assim, ficam esclarecidas convocações exdrúxulas e improváveis. E a ausência de craques indiscutíveis na seleção. A tese do "grupo fechado", alardeada por Dunga, traduzia na verdade a existência de um grupo religioso, de matiz evangélico, formando o núcleo duro (para lembrar uma outra situação desastrosa) da seleção. O que impediu a convocação de novos valores e de craques verdadeiramente rebeldes, ou seja, não-evangélicos. Porque a verdade cristalina é que qualquer grupo de convocados será sempre um grupo fechado, e a inclusão de um ou mais jogadores durante qualquer competição não romperá com a condição de grupo fechado: será um novo grupo fechado, ora bolas. NADA ALÉM DE UMA ILUSÃO - Agora só resta torcer para o Klose não superar Ronaldo. No mais, Holanda merece o título por tudo que fez nesta Copa e nas Copas passadas. A Espanha é novata em fase final de Copa, já fez muito para um futebol de toques pros lados que lembra muito nossa seleção de 1974, liderada por PC Caju: com a bola sempre e gols ocasionais. Ora, por favor, não me venham defender uma seleção que marca um gol por partida, na marra.
Imagem: Bol Fotos

ENQUANTO ISSO...

Problemas matrimoniais? Não se desespere. Entre em contato com a Agência de Aconselhamento Matrimonial Goleiro Bruno. Preços acessíveis. Profissionais capacitados.

terça-feira, 6 de julho de 2010

O CRAQUE

A não ser que a FIFA tome uma decisão espírita, o craque da Copa sairá de um desses três jogadores: Schweinsteiger, Sneijder e Villa. É o que a imprensa vem delineando. Sneijder sai na frente porque já está na final. O alemão e o espanhol vão se "matar", e então tudo será definido na grande final, domingo. Quem comer corda, dança. Quem puxar o ouro, entra para a história. Chego a essa conclusão, porque os três estão bem. Diferentemente da Copa passada, na qual Zidane se sobressaiu, e a Itália brilhou coletivamente, sem nenhum destaque individual maior.

sábado, 3 de julho de 2010

NOTAS DA COPA

  1. CRAQUE DA COPA - Se fosse o Robinho a driblar e a levar a bola até a linha de fundo e tocar pra trás para um companheiro fazer o gol, a imprensa brasileira estaria falando, e falaria até o fim dos tempos, da jogada de gênio, de GÊNIO!!!!, feita por um dos maiores craques da história etc. e tal. Mas quem fez a tal jogada foi um alemão, Schweinsteiger, hoje, na partida contra a Argentina. Este é o meu craque da Copa, pelo que fez até agora (foto).
  2. NA ADVERSIDADE - O que passa na mente de um argentino, paraguaio, uruguaio e de qualquer europeu quando sua seleção está perdendo: "Puxa vida, precisamos empatar, virar o jogo, ganhar a partida, precisamos ir pra frente, lutar, vamos lá, precisamos lutar!" O que passa na mente de um brasileiro quando a seleção está perdendo: "Porra, puta que pariu, estamos fodidos, porra, não vai dar, que merda, acabou, acabou, que merda, porra, não vai dar mais."
  3. DEUSES DO FUTEBOL - Os "Deuses do Futebol" atuaram ontem na partida de Gana, empurraram a Jaburana até o travessão, castigaram o país africano de forma cruel, criaram um momento histórico inesquecível. "Eles" cuidam muito bem do futebol com esses momentos espetaculares e dolorosos. Se eu fosse um "Deus do Futebol" defenderia a tese na reunião de amanhã no Olimpo de que é chegada a hora de recompensar a Holanda. E nada melhor do que contra a Alemanha - tida como melhor seleção da Copa - em uma final que reedite aquela em que a Holanda foi cruelmente castigada em 1974.
  4. GOGÓ - Definitivamente, não se ganha uma partida, muito menos título, na garganta. Como dizia Juarez Soares, "jogo é jogado e lambari é pescado".

TETRACAMPEÃ?

Quem vai afundar o Bismark? Holanda, Uruguai, Espanha? A verdade é que neste Alemanha 4 x 0 Argentina parece que somente um time jogou, tal a sua superioridade. No meio-campo, na defesa, no ataque, a supremacia foi total. E os mesmos críticos (Casagrande, Caio e Falcão) que antes diziam que a Alemanha não era tudo isso, que era até um time previsível, agora a estão exaltando. Eh, gente que só sabe comentar conforme os resultados! Não compreendem (ou não querem compreender) que futebol é circunstância; que esta mesma Alemanha quase perfeita de hoje pode, amanhã, numa jornada ruim, em que nada dá certo (como contra a Sérvia), perder e dar adeus ao título. Espero que não, para o bem do melhor futebol. Como na Copa passada, quando a Itália engrenou e começou a ganhar, inclusive da própria Alemanha na semifinal, acho que teremos um outro Tetracampeão.

TODA ARROGÂNCIA DEVE SER PUNIDA

1)Primeiro, a arrogância de Dunga, o nanotécnico; agora, a de Maradona, o não-técnico. 2)Segundo, a do talento individual, que em um jogo coletivo pretende ser a única solução. Esquecem-se do maior jogador de futebol da história, Pelé, que sempre jogou para o time, para a seleção. E aqui repito o que sempre disse: não convocaria Robinho e similares, firuleiros egoístas improdutivos para a equipe e muito eficazes no marketing pessoal e nos contratos publicitários e em transferências europeias. 3) Teceiro, a das estatísticas históricas, pois a estatística que interessa é a produzida pela seleção atual - a estatística da Holanda impressiona desde as eliminatórias e a da Alemanha dentro desta Copa. 4) Quarto, a da improvisão latina, diante de um planejamento eficaz, em todos os momentos das partidas, demonstrado pelo modelo alemão - em tudo muito parecido com o da Holanda de 1974.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

PÉROLAS DA GLOBO

"Atacagana!" (Cléber Machado)

INCRÍVEL

Nem o pé-frio de Mick Jagger, nem a eliminação do Brasil: o inacreditável de hoje fica por conta dessa derrota de Gana. Por Deus, o que foi isso?

MINHA TORCIDA PELA BOLA

Leiam minhas postagens anteriores, está tudo lá. Não, a Globo não vai demitir Dunga. A saída de Dunga já estava marcada para o final da Copa. Leonardo é o nome que vazou como futuro treinador da seleção. Não me disse nada o fato de Dunga ter barrado a entrada da Sra. Bernardes na concentração. Consta que Robinho foi afastado da partida contra Portugal porque deu entrevista no dia de folga, em um shopping, para a TV Bandeirantes. Aliás, depois disso não houve mais folga. Abomino toda forma de autoritarismo. A melhor definição foi dada pelo Casseta ao identificar a concentração brasileira como Concentração de Máxima Segurança. O futebol tem um só caminho; a ridicularia brota de todo lado quando não se privilegia o futebol. Minha torcida agora fica para a atuação mais impressionante, imprevisível e espetacular da Copa: a da Jaburanga. Torço agora pela bola. E contra a Argentina, é claro.

CONSEQUÊNCIA

Holanda 2 x 1 Brasil. Agora a Globo vai ter motivos para demitir o Dunga...